Chapecoense não joga a toalha: “Estamos vivíssimos”, diz auxiliar de Eutrópio

30/03/2015 11:06

Em um jogo que teve xingamento da torcida para o técnico visitante, bate boca de diretor com o árbitro no intervalo e ironia do técnico visitante após mais um bom resultado, a entrevista coletiva do auxiliar técnico da Chapecoense, Marcos Benatto, contrastou pela serenidade.

Na tarde de domingo, ele substituiu na casamata o técnico Vinícius Eutrópio, suspenso.  E disse que, apesar de o empate com o Figueirense manter o Verdão a quatro pontos do líder e três do vice-líder, não há motivo para desistir.

— O resultado não era o esperado mas estamos vivíssimos na competição — afirmou Benatto.

Ele valorizou a forte marcação do adversário, avaliou que a ansiedade prejudicou a Chapecoense, mas concluiu que os donos da casa fizeram um bom jogo.

— Ainda não falei com ele (Vinícius Eutrópio) mas acho que ele ficou contente com o desempenho do time — declarou o auxiliar.

Porém, Benatto reconhece que jogar bem não é o suficiente para o time chegar na final:

— Temos quatro jogos em que precisamos transformar essa superioridade em movimentação e gols.

O próximo desafio do Verdão será contra o Metropolitano no próximo sábado, em Blumenau. O presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, também demonstrou esperança em entrevista para a Rádio Chapecó.

— Ainda estamos na briga, é difícil, mas não é impossível — declarou o dirigente.

 

Diário Catarinense