Com Aguirre sob pressão, Inter volta a Porto Alegre e valoriza empate fora

19/03/2015 11:27

Sozinho, o técnico Diego Aguirre foi o primeiro da delegação do Inter a deixar o aeroporto Salgado Filho, assim que a delegação colorada desembarcou em Porto Alegre na manhã desta quinta-feira, após cansativas seis horas de viagem de Manta, no Equador, até a capital gaúcha. Embora o discurso da diretoria seja o de respaldo do treinador, há um claro ambiente de cobrança no time por um “salto de qualidade”.  

- Não tenho a menor dúvida (de que Aguirre permanecerá) – afirmou o presidente Vitorio Piffero ao atender a imprensa no saguão do aeroporto. – Vamos ter agora um mês para o próximo jogo da Libertadores. Vamos tratar de botar a equipe e tentar dar um salto de qualidade. Temos muita qualidade nos nomes, mas isso precisa se refletir para dentro de campo.  

Segundo o presidente Piffero, a diretoria terá reunião com a comissão técnica para tentar identificar problemas na equipe. Embora o resultado positivo conquistado no Equador, o time do Inter teve outra atuação abaixo do esperado. Mesmo quando tinha um jogador a mais em campo, cedeu espaços ao clube local e passou sufoco até o final da partida.  

- Temos vários jogadores que não desempenharam bem... quando é com um ou dois fica mais fácil de consertar. Mas quando vários estiveram bem abaixo, precisamos saber o motivo. O que importa para nós é que voltamos com um ponto, que era nosso objetivo inicial – complementou o dirigente. 

Viagem tranquila 

O voo de Manta foi tranquilo e, por conta do cansaço, silencioso – a maioria optou pelo sono. Somente houve certa demora para o embarque no Equador, por conta da vistoria da polícia no aeroporto. Antes do ingresso na aeronave, todas as malas dos passageiros passaram por uma análise de um cão farejador.  

O desembarque em Porto Alegre teve recepção tímida por torcedores. Os jogadores receberam carinho de poucos colorados que circulavam pelo saguão.  

Eduardo Sasha volta com machucado do Equador (Foto: Diego Guichard)
O atacante Eduardo Sasha trouxe na bagagem um machucado no rosto, obtido ainda na partida. Aos 30 minutos do segundo tempo, o atacante dividiu forte com o goleiro Dree, que saiu com o pé no rosto do jogador do Inter. Sasha caiu imediatamente no gramado com corte no rosto. Por isso, voltou com um curativo. 

O certo é que o Inter ainda não deu aquele "salto de qualidade" na Libertadores. Começou perdendo na altitude de La Paz para o The Strongest, com má atuação. Depois, venceu La U e Emelec em casa, com algumas doses de sofrimento. Somando o suado 1 a 1 da quarta, deve atuação de luxo. Mas é claro, o empate contra o Emelec soou como vitória pelo ponto conquistado. Agora, tem sete e perde a liderança do Grupo 4 só no saldo.  

Passada a viagem, o grupo recebe folga no período da tarde desta quinta-feira. Os jogadores se reapresentam na manhã desta sexta, com foco para o confronto contra o contra o Veranópolis, neste domingo, pelo Gauchão. 
 
Globo Esporte