De esquema novo, Inter bate Aimoré e passa em teste para a Libertadores

11/03/2015 21:26

O novo Inter de Diego Aguirre passou pelo principal teste antes da Libertadores. O treinador lançou um esquema diferente na noite desta quarta-feira, diante do Aimoré, pela décima rodada do Gauchão, no Beira-Rio. A ideia? Fortalecer a defesa com um inédito 3-5-2. No placar, deu tudo certo: 3 a 0, uma vitória sem sobressaltos e, o melhor, sem levar gols, algo que só havia ocorrido três vezes em 12 duelos no ano. Pena que um dos destaques não poderá atuar na próxima quarta contra o Emelec. Lisandro López ainda não está inscrito no torneio continental. 

O argentino estreou no Beira-Rio, após a derrota para o Juventude no domingo no Alfredo Jaconi, e, embora sem gols, foi grande figura na partida. Não teve influência no gol contra do Aimoré, que abriu o placar, mas se destacou com belo passe para Eduardo Sasha ampliar. Aliás, o jovem atacante também foi bem, assim como o experiente Alex. Quem igualmente aprovou foi Fabrício. De ala, o camisa 6 anotou o gol que encerrou o placar, num Beira-Rio com mais de 15 mil pessoas.

O Inter sobe para quinto, com 16 pontos, enquanto o Aimoré é nono, com 13. No domingo, provavelmente com reservas, o Colorado visita o Brasil de Pelotas, antes do duelo da quarta-feira, diante do Emelec, no Equador. Em busca de recuperação, o Índio Capilé enfrenta o União Frederiquense, em Frederico Westphalen. 

Jogadores do Inter comemoram vitória sobre o Aimoré (Foto: Diego Guichard)Jogadores do Inter comemoram vitória sobre o Aimoré (Foto: Alexandre Lops/Divulgação Inter)

Noite para ver Lisandro

A grande novidade do Inter não estava depositada necessariamente em jogadores, mas, sim, no esquema tático. Diante dos problemas defensivos do time, Diego Aguirre testaria o 3-5-2, em duelo que contava com Juan e Lisandro López de titular. O primeiro tempo da experiência pouco mudou o panorama de uma equipe ainda insegura e sem um rosto definido. A zaga seguia dando espaços para contragolpes do rival. Mas o Aimoré pouco soube aproveitar. 

A sorte de Aguirre era que havia Lisandro López. O argentino estreava no Beira-Rio após atuar diante do Juventude em Caxias. E mostrou qualidade superior aos demais. Marcou, roubou bola e conseguiu dois belos chutes perigosos, mas que não resultaram em gol. A abertura do placar sairia da forma mais inesperada. Dos pés de Léo, que não cruzou bem. O zagueiro Diego Rocha, no entanto, errou o balão e encobriu o próprio goleiro: 1 a 0, aos 25 minutos, e um resumo de uma etapa inicial de dois times sem inspiração.

Inter melhora no segundo tempo

Parece que o Inter deixou o melhor para o segundo tempo. Prova disso foi o segundo gol, em bela jogada coletiva. Que começou em cruzamento de Fabrício, passou por bela aparada de Lisandro e terminou em finalização certeira de Sasha: 2 a 0, aos oito minutos. Aos 17, o argentino saiu sob merecidos aplausos enquanto o Inter tentava ampliar. 

E conseguiu. E numa prova de que o 3-5-2 começa a funcionar. Um dos zagueiros, Réver, se desprendeu do ataque e soltou um foguete na trave. Na sequência, Fabrício, aproveitando a liberdade como ala, completou para as redes sem proteção. Melhor do que os gols feitos, foram os gols não sofridos. A zaga, enfim, passou incólume. Alento de peso antes da prova final, na próxima quarta-feira, no Equador. 

 

Globo Esporte