Figueirense empata com a Chapecoense e mantém vantagem de três pontos na classificação do Hexagonal

30/03/2015 05:48
O Figueirense perdeu a liderança do Hexagonal com o empate por 1 a 1 na Arena Condá, neste domingo, mas manteve uma vantagem de três pontos em relação a um concorrente direto, a Chapecoense. Além disso aumentou a invencibilidade diante do Verdão, que já soma sete jogos.

Não adiantou a torcida vaiar o técnico Argel Fucks. Ele soma quatro vitórias e um empate nos confrontos. É uma touca. Não da cor azul como Rafael Lima usou no início da partida para proteger um corte no supercílio. Ela é alvinegra.

O técnico Vinícius Eutrópio, ex-alvinegro, que estava suspenso e precisou assistir o jogo das cabines no setor de imprensa, escalou um time mais ofensivo para tentar acabar com o jejum de vitórias da Chapecoense contra o Alvinegro. Ele retirou um dos três volantes e escalou o meia Hyoran, além de trocar William Barbio por Maranhão.

E Hyoran mostrou por que tem seu nome inspirado em Johan Cruyff. Logo no início da partida ele acertou um chute que bateu na trave, próximo do ângulo, e quicou no gramado, mas fora do gol. A Chapecoense seguiu pressionando e Ananias cabeceou para fora.

Mas o Figueirense foi quem mostrou mais eficiência. A zaga alvinegra cortou um passe de Hyoran para Apodi, lançou Mazola e este encontrou Rafael Bastos dentro da área. Ele aproveitou um quique da bola e chutou ela ainda no ar, acertando o ângulo de Nivaldo.

Uma a zero para o Figueirense. Argel deu pulos de alegria. O torcedor Dionatan Gomes postou nas redes sociais que não aguentava mais perder para o Figueirense. Com o gol ,o alvinegro melhorou na partida. Mas as conclusões de Marquinhos e Rafael Bastos foram por cima do gol.

Aos poucos a Chapecoense foi retomando a iniciativa do jogo. Maranhão chutou rasteiro e Alex defendeu. Gil arriscou para fora. Hyoran arriscou duas vezes, alto, e chegou a ser vaiado por alguns.

Mas aos 40 minutos o garoto formado na base da Chapecoense recebeu na direita, driblou dois defensores e chutou cruzado, alto, no ângulo de Alex.

— Consegui o drible e acertei um belo chute, foi um golaço — disse Hyoran, na saída para o intervalo.

Para o segundo tempo, o técnico Argel Fucks colocou Marquinhos Pedroso e Ricardinho no lugar de Cereceda e Dudu. Mas quem continuou se destacando foi Hyoran. Logo no início da segunda etapa ele pegou um rebote no “bico” da área, de primeira, e quase encobriu o goleiro Alex Muralha, que teve que se espichar para mandar a bola para escanteio.

Depois, numa cobrança de falta, novamente o goleiro teve dificuldades em mandar a bola para escanteio. A Chapecoense pressionou quase todo o segundo tempo. E quase todo o time visitante foi “amarelado” com os cartões. Mas não adiantou Rafael Lima tirar a touca azul. A touca alvinegra continua.

FICHA TÉCNICA
CHAPECOENSE 
Nivaldo, Apodi, Rafael Lima, Vilson e Dener; Wanderson, Gil (Richarlyson), Hyoran, Ananias (William Barbio) e Maranhão (Nenén); Bruno Rangel. Técnico: Vinícius Eutrópio.
FIGUEIRENSE
Alex Muralha, Leandro Silva, Marquinhos, Thiago Heleno e Cereceda (Marquinhos Pedroso); Paulo Roberto, Dener e Rafael Bastos; Dudu (Ricardinho), Clayton e Mazola (Marcão). Técnico: Argel Fucks.
Gols: Rafael Bastos, aos 13 minutos, e Hyoran, aos 40 minutos do primeiro tempo.
Arbitragem: Heber Roberto Lopes, auxiliado por Nadine Schramm Câmara Bastos e Neuza Inês Back.
Cartões amarelos: Cereceda, Dener, Clayton, Marquinhos Pedroso, Paulo Roberto, Thiago Heleno, Ricardinho e Alex Muralha (F)
Local: Arena Condá
Público: 6.415
Renda: R$ 64.415
 
Diário Catarinense