Pela seleção, Grohe se conforma em não acompanhar nascimento do primeiro filho

25/03/2015 05:31
Convocado pela segunda vez pelo técnico Dunga para a Seleção Brasileira, Marcelo Grohe sonha alto. Quer estar na lista de jogadores que disputarão a Copa América. Para isso, está disposto a passar por um sacrifício. As informações são do repórter Filipe Gamba, da Rádio Gaúcha.

O primeiro filho do goleiro deve nascer no dia 18 de junho. Se for convocado para a Copa América, o jogador não acompanhará o nascimento de Pietro. A decisão é difícil, porém, Grohe fez sua escolha.

– Ele terá orgulho de saber no futuro que o pai não esteve presente no nascimento por estar defendendo a Seleção – explicou.

Para acompanhar tudo à distância, Marcelo tem um plano pronto:

– Se precisar, já falei com a minha sogra. Ela vai acompanhar e transmitir ao vivo para que eu possa assistir.
Grohe está focado na Seleção. O sonho é estar na Copa América, mesmo sabendo que a concorrência será grande.

– Eu estou muito tranquilo, vou procurar fazer meu trabalho no Grêmio e na Seleção. O Brasil tem grandes goleiros e a escolha é do Dunga, cabe a mim trabalhar muito para seguir sendo convocado. Espero poder estar na Copa América, seria um sonho – disse o jogador.

Para seguir sendo convocado, Marcelo confia nos métodos de trabalho do treinador do Brasil.

– O Dunga prioriza o grupo, observa e analisa os treinamentos. Seguir bem no clube e treinar bem com a seleção será fundamental.

Na Europa para os amistosos contra França e Chile, Dunga trouxe três goleiros. Além de Marcelo, estão com o grupo Jefferson e Diego Alves.

– São dois grandes goleiros, o Jefferson há um bom tempo é um dos melhores do Brasil, esteve na Copa do Mundo e tem bons desempenhos no Botafogo. O Diego está numa fase ótima na Espanha, jogando pelo Valencia tem feito grandes campeonatos. São os dois nomes que estão se destacando.

Na sua segunda convocação para a seleção, Marcelo destacou o amadurecimento pessoal e profissional.

– É a realização de um sonho, batalhei muito, passei por inúmeras dificuldades na carreira, no profissional e quando percebo que cheguei na seleção é a realização de um sonho. Olho pra trás e vejo que tudo valeu a pena.

Um dos melhores amigos de Marcelo no futebol também é o seu principal conselheiro: Victor, ex-colega de Grêmio, atualmente no Atlético-MG.

– Eu sou muito amigo do Victor, tenho uma intimidade grande com ele por ter dividido o mesmo quarto na concentração durante quatro anos. A gente conversa bastante, ele me parabenizou pela convocação, me passa conselhos e dicas, afinal, ele esteve na Copa do Mundo e pode me ajudar.

Marcelo vive uma situação curiosa dos demais jogadores da seleção. Trabalha com o antigo e o atual técnico da Seleção. No Grêmio, Felipão procura passar tranquilidade ao jogador.

– Quando fui convocado, ele me parabenizou, me desejou sorte, disse perante os outros jogadores do elenco para que todos seguissem trabalhando que a chance de chegar na Seleção era real e que todos precisam almejar isso na carreira.

Agora, Marcelo Grohe espera jogar por alguns minutos no gol da seleção. Como terceiro goleiro, a tarefa não será fácil, porém, o sonho existe.
 
Zero Hora