Semana da Libertadores antecipa clima de mata-mata para times brasileiros

17/03/2015 05:37

Os jogos ainda são válidos pela fase de grupos da Copa Libertadores de 2015. Para três times brasileiros, porém, a atual semana terá clima de mata-mata no principal torneio do continente sul-americano. Após inícios claudicantes, Atlético-MG, Cruzeiro e São Paulo farão confrontos determinantes para seus futuros na competição.

O drama do Atlético-MG

O caso mais claro disso é o do Atlético-MG. O time mineiro ainda não somou pontos na Copa Libertadores (perdeu para Colo-Colo e Atlas nas duas primeiras rodadas) e jogará na próxima quarta-feira (18) contra o Independiente Santa Fe, que venceu suas duas partidas e lidera o Grupo 1.

O duelo será realizado no estádio El Campín, em Bogotá (Colômbia), mas o Atlético-MG precisa desesperadamente somar pontos. Dependendo dos resultados contra o Independiente Santa Fe, os brasileiros podem ser eliminados antes mesmo do término da fase de grupos.

Em dez jogos na temporada, o Atlético-MG acumulou cinco vitórias, um empate e quatro derrotas. O time foi vaiado pelos próprios torcedores no estádio Independência durante alguns momentos do revés por 1 a 0 para o Atlas (o lateral direito Patric e o atacante André, principalmente). O cenário todo contribui para o clima decisivo da partida de quarta-feira.

Pensando nisso, jogadores do Atlético-MG resgataram nos últimos dias o "Eu acredito", grito da torcida que marcou os momentos mais difíceis da campanha alvinegra no título da Libertadores de 2013. "Esse grito é entoado há três anos. Espero que na quarta-feira possam acreditar os que estiverem lá e os que vão ficar em Minas Gerais", pediu o lateral direito Marcos Rocha.

Em 29 jogos como visitante na Libertadores, o Atlético-MG somou sete vitórias, oito empates e 14 derrotas. Na última temporada, o único triunfo alvinegro fora de Belo Horizonte aconteceu na partida contra o Zamora (1 a 0 na Venezuela, na abertura da fase de grupos).

A dúvida sobre o Cruzeiro

O Atlético-MG, contudo, não é o único time mineiro que terá uma semana decisiva na Libertadores. A próxima partida também será determinante para o destino do Cruzeiro no torneio. Com apenas dois pontos, o atual bicampeão brasileiro visitará o Mineros na quinta-feira (19), na Venezuela.

O Mineros somou um ponto em dois jogos e ocupa a lanterna do Grupo 3 – o líder é o Universitario Sucre, com cinco pontos. Os dois duelos seguidos com os venezuelanos, portanto, são uma chance para o Cruzeiro entrar na briga pelo topo da chave – ou então se complicar de vez.

Depois do bicampeonato brasileiro, o Cruzeiro perdeu nomes como Egídio, Lucas Silva, Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart e Marcelo Moreno. O processo de reconstrução ainda está longe de ter sido concluído, e prova disso é que a diretoria segue atrás de reforços. A equipe celeste ainda tem a irregularidade como marca, mas está invicta em 2015 (cinco vitórias e quatro empates em nove partidas oficiais).

O ataque do Cruzeiro ainda não balançou as redes adversárias na Copa Libertadores. Em duas partidas, foram 31 finalizações e apenas quatro chutes na direção do gol. Com jogos decisivos pela frente, nem a invencibilidade da defesa diminui as dúvidas acerca dos mineiros.

A instabilidade do São Paulo

O São Paulo perdeu somente dois jogos em 2015, ambos para o Corinthians. No último domingo (16), o presidente do clube, Carlos Miguel Aidar, usou esses números para dizer que o início de temporada da equipe tricolor não tem sido ruim.

A percepção de Aidar, porém, depende fundamentalmente do que vai acontecer com o São Paulo nas duas próximas partidas da Copa Libertadores. Como o goleiro Rogério Ceni definiu, o time paulista fará contra o San Lorenzo "um mata-mata dentro da fase de grupos".

O São Paulo jogará contra os argentinos nos dias 18 de março (no Morumbi, em São Paulo) e 1º de abril (no Nuevo Gasometro, em Buenos Aires). As duas equipes somaram três pontos nas duas primeiras rodadas do Grupo 2, cuja liderança é do Corinthians (seis pontos).

Os confrontos com o San Lorenzo, portanto, são tratados no São Paulo como decisões. São 180 minutos para o time se afastar das notícias sobre crises nos bastidores ou dar eco de vez aos problemas internos citados por Muricy Ramalho nos últimos dois jogos.

As grandes chances de Corinthians e Internacional

Os outros times brasileiros que disputam a Copa Libertadores também entrarão em campo nesta semana, mas conviverão com um grau menor de pressão. Principalmente o Corinthians, que visitará o Danubio nesta terça-feira (17), no Uruguai.

O time comandado por Tite tem 100% de aproveitamento até aqui – só Independiente Santa Fe e Boca Juniors ostentam a mesma marca. Se vencer o Danubio, dará um passo importante para se classificar e para ser um dos melhores da fase de grupos. Se perder, porém, colocará em xeque o status construído no início do trabalho do técnico, que voltou ao clube em 2015 e ainda está invicto.

Entretanto, o brasileiro que pode se aproximar mais de uma vaga na próxima fase é o Internacional. A equipe colorada enfrentará o Emelec fora de casa na quarta-feira (18) pela quarta rodada do Grupo 4. Os dois times somaram seis pontos até aqui, e o vencedor estará muito perto da classificação.

O problema para o Internacional é que D'Alessandro e Nilmar, duas de suas principais estrelas, não estarão em campo. O diretor de futebol do time gaúcho, Carlos Pellegrini, já disse que um empate serve: "Não temos por que correr riscos contra o Emelec".

Para Corinthians e Internacional, a semana pode ser de boas notícias. Para todos os times brasileiros da Libertadores, a semana será decisiva.
 
UOL Esportes