Dia Mundial da Água: você conhece o trabalho da Casan em Cunha Porã?

25/03/2019                                08:23

Ivonei Luiz Stürmer, chefe da Agência da Casan, explica um pouco do seu funcionamento

Criado em 1993 pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Dia Mundial da Água é lembrado em 22 de março, e teve por objetivo destacar a importância desse recurso natural e conscientizar sobre a necessidade de cuidar dele. Nesta sexta-feira (22) em que celebramos o Dia Mundial da Água fica o questionamento: você conhece o trabalho da Casan em Cunha Porã?

Conforme Ivonei Luiz Stürmer, chefe da Agência da Casan de Cunha Porã, quando se fala em desperdício, eles são classificados em dois tipos; aquele que ocorre depois do hidrômetro, que vai refletir na fatura do cliente, e por isso é recomendado atenção quanto a possíveis vazamentos internos para não haver surpresas na cota final. “Temos notado a preocupação de muitas pessoas. No entanto, há também os descasos”, cita.

A outra perda por vazamento é aquela ocorrida antes do hidrômetro, que se refere ao sistema da Casan. “Nos últimos tempos temos feito um amplo trabalho no que se refere à procura por vazamentos ocultos, ou seja, aqueles que não são notados na superfície do solo, por exemplo. A partir deste levantamento é feita triagem, em que primeiro são priorizados os concertos maiores que possam comprometer o sistema de abastecimento, em seguida são feitos reparos nos pequenos vazamentos. Ações que envolvem equipamentos, trabalho em equipe e custo operacional”, explica.

Stürmer explica que nos últimos anos a Agência da Casan de Cunha Porã teve investimentos consideráveis, a exemplo da construção da nova estação de tratamento e a nova adutora, que é a tubulação que leva a água do rio até a estação. Além disso, há pouco tempo também foi instalada duas moto-bombas novas, aumentando a vazão e capacidade de tratamento. “Hoje é possível tratar até 30 litros de água por segundo, sendo que em dias de consumo normal, está sendo tratado de 20 a 25 litros/segundo”, destaca o profissional, mencionando que os dias de maior consumo são as segundas, sextas e sábados.

O chefe da Casan de Cunha Porã esclarece que por vezes é feita a interrupção do abastecimento para concertos de vazamentos ou manutenção de moto-bombas. “A Casan considera que todos tenham seu reservatório que seja suficiente para abastecer a residência por 24 horas. Já as interrupções com menos de 12 horas são chamadas de intermitências, e não é considerada falta de água”, cita Stürmer, reforçando que este protocolo é seguido em todo Estado.

Poluição X Qualidade da Água

Stürmer explica que Cunha Porã possui uma grande vantagem quanto à potabilidade da água, pois o manancial do Rio São Domingos onde é feita a captação é bem próxima da nascente, cerca de 2 a 3 quilômetros. Mesmo assim, a qualidade é superior a muitas outras localidades.

O profissional pondera que é preciso desmistificar a ideia de que a água é contaminada por resíduos oriundos do cemitério. “Sabemos que muita gente não consome água da Casan por conta desse assunto. Mas é importante esclarecer que por várias vezes engenheiros da Casan estiveram no município para fazer estudos e foi constatado que o sistema de drenagem do cemitério não interfere no curso do rio onde é feita a captação. Portanto, o assunto não é procedente”.

Outro dado importante para a população que consome água da Casan é com relação ao controle de qualidade que é feito a cada duas horas na estação de tratamento, com análises físicas e químicas. Além disso, laboratórios de São Miguel do Oeste e Chapecó vêm ao município para fazer a coleta de água três vezes por semana. Esta coleta inclui água bruta, ou seja, do rio, assim como na estação e em vários pontos da cidade. “Os índices de qualidade da água estão entre os melhores do Estado, inclusive da região Sul do País”.

Por outro lado, Stürmer menciona que infelizmente a Casan é lembrada somente quando há problemas. “No entanto, nossos serviços têm melhorado consideravelmente nos últimos anos, após os investimentos e o trabalho constante dos profissionais. Além disso, contamos com canais de comunicação, aplicativo de celular e atendimento presencial junto à estação de tratamento, localizada no Bairro Jardim América. Também é possível agendar visita para acompanhar o trabalho desde a captação até os tratamentos que propiciam a água potável que chega a todo perímetro urbano de Cunha Porã”, pontua Ivonei Luiz Stürmer, chefe da Agência da Casan.

Fonte: Jornal Oeste Notícias